logotipo
35 anos de rock'n'roll

Conheça nossas redes sociais!

Música do Dia


HUNTRESS - Eight Of Swords

  • Slash: lançado "Mind Your Manners", mais um single do novo álbum

    Segunda, 20 de agosto de 2018
  • Aretha Franklin: morre a rainha do soul, aos 76 anos de idade

    Sexta, 17 de agosto de 2018
  • Jill Janus: morre aos 43 anos a vocalista da banda Huntress

    Sexta, 17 de agosto de 2018

Exposição “Do Toque ao Clique” conta história da música em São Paulo

 

Que tal embarcar em uma viagem histórica e sensorial, passando por autômatos, caixas de músicas, gramofones, jukebox, pianolas, realejos, vitrolas e muito mais?

 

Com curadoria de Leão Leibovich, “Do Toque Ao Clique – A História Da Música Automática”, em cartaz no Sesc Vila Mariana até 29 de julho, é inédita no Brasil e reúne um acervo rico de peças sonoras históricas, além de mídias musicais e aparelhos eletrônicos. Os objetos, construídos em sua maioria ao longo dos séculos XIX e XX, permitem traçar um panorama histórico e social da música mecânica programada e automática ao redor do mundo.

 

Inaugurada em abril, mostra conta com cerca de 100 peças e já recebeu mais de 10 mil visitantes

 

A música automática evoluiu do toque ao clique, passando por diversos tipos de máquinas e mídias, metamorfoseando tecnologias, recriando e revolucionando os hábitos sociais. Para mostrar ao público essa evolução da música programada, o Sesc Vila Mariana apresenta a exposição “Do Toque Ao Clique – A História Da Música Automática”, que conta cronologicamente as principais etapas que constituem esta revolução tecnológica e seu papel dentro da história da humanidade. A mostra é gratuita e aberta ao público em geral.

 

A exposição reúne um acervo de peças centenárias – provenientes da Europa e Estados Unidos – composto por caixas de música, autômatos, realejos, fonógrafos, gramofones, vitrolas, jukebox e muitos outros itens que datam de 1820 até os tempos atuais, totalizando cerca de 100 peças.

 

Uma cenografia e uma ambientação especial também foram criadas para receber a mostra, além de uma paisagem sonora com sons ambientes. Algumas peças da exposição (11 no total), possuem vídeos em que o público pode ver o funcionamento das obras, além de escutá-las.

 

CAIXAS DE MÚSICA

 

Leão Leibovich explica que hoje só conseguimos escutar música no celular graças aos antigos realejos de rua: “Durante toda a história até o começo do século 19, para se ouvir música dentro de casa, era preciso ter um cantor ou um músico na família. Caso contrário, só mesmo contratando um artista. Apreciar música era um privilégio para poucos afortunados que podiam ir a teatros ou diversão pontual para muitos que não se importavam em ficar em praças públicas, no calor ou no frio, dançando ao som dos realejos de rua.”

 

“Nas vésperas da Revolução Industrial, os relojoeiros suíços e alemães iniciaram um processo importantíssimo e irreversível para o futuro da música em todo o mundo. A alegria começou a entrar na casa das pessoas através de pequenas máquinas movidas à corda. Eram as caixas de música. Assim como os realejos, elas reproduziam, por intermédio de um sistema de cilindro programado, os hits da época repletos de árias, polcas e valsas. Por quase cem anos o mundo acompanhou a evolução de dezenas de máquinas e mídias cada vez mais sofisticadas e para todos os gostos e bolsos. Mas somente a partir da invenção do fonógrafo de Edison foi possível gravar e reproduzir o som como ele é. Inclusive a voz humana”, conta o curador.

 

O TOQUE

 

O conceito de música programada só surgiu porque nossos ancestrais sonharam com instrumentos capazes de executar uma música inteira com um simples toque, como o girar de uma manivela ou o acionar de uma alavanca.

 

Máquinas maravilhosas que tocassem sozinhas, sem a necessidade de um músico ou instrumentista, foram idealizadas desde povos muito antigos. Para os inventores, a automação significava não apenas entretenimento, mas uma comodidade na execução de tarefas pré-programadas a um simples comando. Para as pessoas comuns o resultado era surpreendente. Como um toque de mágica a música se transformou na primeira das sete artes.

 

O CLIQUE

 

O século 20 trouxe tanto melhorias para antigas necessidades como novas tecnologias para atender a diversas demandas. Os eletrônicos, as gravações elétricas, o aperfeiçoamento do magnetismo e, principalmente, a corrida pela portabilidade. O rádio e a TV inauguraram a Era da Informação e só haveria espaço no mercado para equipamentos simples e práticos. As pessoas não queriam mais ficar girando uma manivela para obter um som, nota por nota. Queriam aparelhos eletrônicos que trocassem as mídias automaticamente e funcionassem com apenas um clique.

 

Com o futuro em voga, a informática e a nanotecnologia também ganhavam seu espaço e milhares de possibilidades estavam a um clique do mouse. A internet acelerou o processo da informação e a música programada não podia ficar de fora. Os aparelhos ficaram mais compactos até caberem num pequeno bolso. As mídias diminuíram de tamanho até sumirem completamente do plano físico. Atualmente, a música é compartilhada através de sistemas sem fio como o wi-fi e o bluetooth.

 

A música automática evoluiu do toque ao clique passando por diversos tipos de máquinas e mídias, metamorfoseando tecnologias, recriando e revolucionando os hábitos sociais. “Hoje em dia as plataformas digitais acabaram com a necessidade de um aparelho específico para se ouvir música. Smartphones e players para todos os bolsos e gostos são capazes disso e muito mais. Não precisamos mais procurar a música, a música nos encontra onde quer que estejamos”, acredita Leão.

 

DO TOQUE AO CLIQUE - A HISTÓRIA DA MÚSICA AUTOMÁTICA

 

Em cartaz até 29 de julho de 2018, terças a sextas-feiras, das 10h às 21h30; sábados, das 10h às 20h30; domingos e feriados, das 10h às 18h30. Atrium – 1º andar – Torre A e Espaço da Palavra – 5º andar – Torre A do Sesc Vila Mariana. Livre. Grátis.

 

Estacionamento: R$ 5,50 a primeira hora + R$ 2,00 a hora adicional (Credencial Plena: trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes). R$ 12 a primeira hora + R$ 3,00 a hora adicional (outros). 200 vagas.

 

SESC VILA MARIANA – Rua Pelotas, 141 – Vila Mariana. Telefone – (11) 5080-3000. Acesso para deficientes físicos. Horário de funcionamento da Unidade – Terça a sexta, das 7h às 21h30; sábado, das 9h às 21h; e domingo e feriado, das 9h às 18h30. Central de Atendimento (Piso Superior – Torre A) – Terça a sexta-feira, das 9h às 20h30; sábado, domingo e feriado, das 10h às 18h30. www.sescsp.org.br.

 

Facebook, Twitter e Instagram: /sescvilamariana


Fonte: Assessoria de Imprensa Sesc Vila Mariana

 
Próximos Shows
Sem Eventos
Busca no site