logotipo
35 anos de rock'n'roll

Conheça nossas redes sociais!

Música do Dia


OPETH - Heart In Hand

  • Delain e VUUR em Limeira: Holanda em dose dupla

    Terça, 21 de maio de 2019
  • Bonadia Fest reúne 15 bandas em SP

    Domingo, 05 de maio de 2019
  • Coletânea física e digital comemora os 50 anos do ZZ Top

    Sexta, 03 de maio de 2019
Erro
  • JFolder::files: Caminho não é uma pasta:

Centurian, Misery Index e Into Darkness: fazendo o metal underground triunfar mais uma vez

CENTURIAN, MISERY INDEX E INTO DARKNESS

Hangar 110, SP/SP (07/04/2012)

 

Texto por Juliana Lorencini e fotos por Luciano Piantonni (Gestos Grosseiros e Into Darkness) e Evandro Camellini (Misery Index e Centurian)

 

No último sábado (07/04), a Tumba Productions foi responsável por trazer à São Paulo, mais uma leva de bandas de ótima qualidade, que compõe o cenário extremo mundial. As escolhidas desta vez foram Centurian, Misery Index e Into Darkness, e ainda contaram com a participação do Gestos Grosseiros. O local foi a tradicional Hangar 110.

 

Com o público ainda entrando timidamente, os paulistas do Gestos Grosseiros abriram a maratona de shows, às 19h30, com seu death brutal. O trio de Guarulhos (Grande SP) fez um set curto, mas eficiente, onde divulgaram seu segundo - e novo - CD, Satanchandising, de onde tocaram sons como, Humanity Victory (Kill By Power), Predator Of Soul, Slaves Of Imagination e a faixa título - também tocaram algumas do primeiro cd, Countdown To Kill. Destaque para o baterista e vocalista Andy Souza, que segura muito bem nas duas funções ao vivo.

 

O trio alemão Into Darkness fez sua estreia em solo brasileiro, Sebastian "Sebastard" Längerer- (guitarra/vocais), Marco "Skully" Martin (baixo) e Robert Witzel (bateria) trouxeram em seu repertório que mesclava músicas de todos os seus álbuns, incluindo Dysphoria, cujo lançamento deveria acontecer no dia 05, em Recife, porém o show foi cancelado dois dias antes da data prevista. A banda ainda incluiu no seu set list músicas novas que estarão presentes no próximo álbum que será gravado ainda esse ano. Alternando seu som com passagens mais técnicas e quebradas, o Into Darkness, de fato agradou muito ao público que ainda não os conhecia.

 

Sebastian se comporta como um verdadeiro frontman, já os destaques ficam para os jovens Marco e Robert, de apenas 23 e 21 anos respectivamente. Mesmo com um set list curto e enfrentando alguns problemas técnicos durante o show, em especial com a guitarra de Sebastian, o Into Darkness em nenhum momento deixou que isso afetasse seu show, e provou que a Alemanha não fica presa apenas as suas bandas clássicas e que seu underground anda produzindo bandas de muita qualidade!

 

Direto dos Estados Unidos veio o Misery Index, grupo que tinha em sua formação incial alguns membros fundadores do Dying Fetus, faz hoje uma mistura brutal Death Metal com Grindcore e tem quatro álbuns lançados até o momento Retaliate (2003), Discordia (2006), Traitors (2008) e  Heirs To Thievery (2010), este lançado aqui no Brasil pela Rock Brigade Records em parceria com a Mutilation Records.

 

Há quem diga que eles tenham sido a grande surpresa da noite. Com um show matador, os norte-americanos do Misery Index, colocaram de fato a galera para “bater cabeça”! O destaque ficou para o baterista Adam Jarvis, e dá a constante troca de vocais entre Jason Netherton (baixo/vocais) e Mark Kloeppel  (guitarra/vocais). O line-up ainda conta com Darin Morris (guitarra). A sensação que me deu, foi de que o Misery Index poderia ter fechado essa noite, e fecharia em grande estilo!

 

Os holandeses do Centurian representam um nome forte na cena Death Metal  mundial, com apenas dois álbuns, Choronzonic Chaos Gods (1999) e Liber Zar Zax (2002), o repertório da banda não fugiu muito dos mesmos, e foi o suficiente para fazer o Hangar 110 virar o caos.

Centurian subiu ao palco por volta as 22h, e abriu a noite com Hell At Last, na sequência vieram The Reading, Colloseum Of Blood,  Hail Caligula e Heading for the Holocaust. Foi um show sem pausas, Niels Adams (vocais), trocou poucas palavras com o público entre uma música e outra, era tempo somente de tomar água, e logo retomar o show. 

 

Niels, ao lado de Rob Oorthuis (guitarra), Patrick Boleij (baixo) e Seth van de Loo (bateria), trouxerram todo o peso e agressividade que o público brasileiro esperava. Para encerrar a noite Of Purest Fire faixa tirada da demo de mesmo nome, lançada pela banda em 1997.


Apesar enorme quantidade de shows que temos tido nos últimos tempos, incluindo a apresentação de outro nome de peso do metal, o Sodom, que acontecia no mesmo dia, tive uma grande e feliz surpresa ao chegar no Hangar 110, e ver a quantidade de pessoas que estavam lá. A casa não estava cheia, mas ainda sim, muita gente foi de fato apoiar a cena underground. Cena essa que poderia se repetir muitas outras vezes.


Set list Gestos Grosseiros
Humanity Victory (Kill By Power)
Mirror of Death
Lord of The Lie
Predator Of Soul
Slaves Of Imagination
Satanchandising

Set List Into Darkness

Flow Of Aggression
True Rules of This World
Impersonation of Death
Goretified
Divine Temptation
Avenger
Sinister Demise
13 Ways to Die
Change of Course

Set List Misery Index
Sleeping Giants
The Carrion Call
Partisans Of Grief
You Lose
Conquistadores
Defector
The Seventh Cavalry
The Spectator
The Illuminaught
The Great Depression
Heirs to Thievery
Traitors/Embracing Extinction

Set List Centurian

Hell At Last
The Reading
Colloseum Of Blood
Judas Among Twelve
Antinomian
God Got Killed
The Law of Burning
Adversus
Hail Caligula
Heading for the Holocaust
Of Purest Fire

 

 
Busca no site