logotipo
33 anos de rock'n'roll

Edição Atual

Música do Dia


ROBERT PLANT - The May Queen

  • Scream Of Agony Fest: Eternal Darkness DCLXVI e mais em SP

    Terça, 22 de agosto de 2017
  • Ouça gravação inédita de Lemmy Kilmister com guitarrista do Headcat

    Terça, 22 de agosto de 2017
  • Ouça agora o novo single de Robert Plant “The May Queen”

    Segunda, 21 de agosto de 2017

The Cult voltou ao Brasil e fez show memorável

THE CULT

HSBC Brasil, SP/SP (14/05/2011)

 

Texto por Bruna Maziero e fotos por Rafael Orsi

 

Depois de uma passagem pelo Brasil em 2008, um tanto quanto frustrante para os fãs, o The Cult Cult_23voltou ao nosso país para mostrar porque é considerado um clássico do rock.

 

A banda britânica se apresentou de forma exemplar! O show foi no HSBC Brasil em São Paulo, e como já esperado, a casa estava cheia e o público muito animado, apesar do atraso de mais de meia hora para banda subir ao palco, mas valeu à pena esperar.

 

Não teve como não se espantar com o visual do vocalista Ian Astbury, que apareceu com roupas estranhas, cabelo bagunçado com um lenço vermelho e óculos escuros, diria que sua sobriedade era questionável, mas nada muito assustador para os fãs de rock que já estãoCult_29 acostumados com esse tipo de coisas.

 

Abriram a belíssima apresentação fazendo todo mundo cantar ao som de Every man And Woman Is A Star, em seguida Rain, Electric Ocean, Sweet Soul Sister,White, um clássico atrás do outro.

 

O guitarrista Billy Duffy beirou a perfeição nesse show, assim como o baterista John Tempesta que também tocou muito, claro, sem tirar os méritos do outro guitarrista Mike Dimkich e o baixista Chris Wyse.

 

Exibiram nos telões um filme feito por Astbury que de fato não fez muito sentido, mas o show Cult_36continuou muito bem com musicas como Dirty Little Rockstar, Rise, Wild Flower, She Sells Sanctuary, entre elas Astbury foi homenageado por ser seu aniversário, um “happy birthday to you” cantado pelos fãs e acompanhado pela banda. Antes disso o vocalista ganhou até um ursinho de uma fã, e ficou devidamente espantado e feliz pela lembrancinha que não era muito “sua cara”.

 

Os fãs esperavam as clássicas baladas Painted On My Heart, trilha do filme sessenta segundos, Revolution e Edie (Ciao Baby), mas a pesar de não terem sido tocadas o The Cult não deixou a desejar. Impressionaram muito no encore com Fire Women e a inesperada eCult_48 maravilhosa Break On Through (to the Other Side) da banda The Doors, que deixou o público extremamente empolgado e satisfeito. Havia momentos em que a voz dos fãs ultrapassava o som da banda.

Tiraram a má impressão do último show de forma memorável, e quem presenciou o espetáculo com certeza espera ansioso para que voltem em breve com todos os clássicos que temos direito!

 

ATENÇÃO!!!
Para postar um comentário sobre esse texto, você precisa fazer seu LOGIN no site.

Próximos Shows
Sem Eventos
Busca no site