logotipo
35 anos de rock'n'roll

Conheça nossas redes sociais!

Música do Dia


DREAM THEATER - Fall Into The Light

  • Rosa de Saron: clima de saudade e gratidão marca despedida

    Segunda, 14 de janeiro de 2019
  • Megadeth: coletânea “Warheads on Foreheads” terá 32 faixas

    Domingo, 13 de janeiro de 2019
  • Amorphis: banda confirma show em São Paulo no Espaço 555

    Quinta, 10 de janeiro de 2019

Joe Bonamassa: apresentação do guitarrista em São Paulo

JOE BONAMASSA

HSBC Brasil, SP/SP (08/08/2013)

 

Texto por Danilo Guedes e fotos por Rodrigo Freitas

 

Joe Bonamassa sem sombra de dúvidas ficou mais conhecido pelo público rockeiro no Brasil por fazer parte do super projeto Black Country Communion ao lado de Glenn Hughes.Mas para os apreciadores de blues, já é um ícone bem estruturado, com uma carreira solo com mais de uma década.

 

O show começou precisamente às 21:30hs. Casa com um público muito bom.

 

A primeira parte foi acústica, composta por cinco músicas. Um banquinho e violão, bongo e piano. Abriu com Palm Trees Helicopters And Gasoline do álbum You And Me de 2006, seguindo com Seagull e Jelly Roll do Sloe Gin de 2007, álbum este que colocou Joe finalmente das paradas de sucesso. Athens To Athens e Woke Up Dreaming encerraram esta primeira parte.

 

Joe plugou sua guitarra (a primeira das várias Les Paul que ele trocou ao longo do show), acompanhado de bateria, baixo e teclado e tome blues rock na cabeça. Viriam quatorze "momentos" bem bacanas a seguir.

 

Quase como um CD, as oito músicas seguiram uma atrás da outra: Dust Bowl, Story Of A Quarryman, Who's Been Talking, Someday After A While, Dislocated Boy, Driving Towards The Daylight, Slow Train e Midnight Blues.

 

Aqui finalmente Joe Bonamassa interage com o público, agradecendo a hospitalidade e carinho dos brasileiros nesta sua segunda passagem por nosso país.

 

Segue com Spanish Boots e a pesada Song Of Yesterday. Django é uma música instrumental, curta, mas que vem lá do fundo da alma. Linda demais!! Mountain Time continua dentro do contexto intimista.

 

Sloe Gin e o hit Ballad Of John Henry terminam como bis. 120 minutos depois, Joe Bonamassa se despede e sai do palco.

 

Foi bem bacana. Nada de novo e nem de original. Joe Bonamassa é um guitarrista prodígio que optou pelo blues rock ao invés de esmerilhar as seis cordas da guitarra (como muitos fazem) pelo rock mais pesado.

 

DSCN2965.jpg DSCN2971.jpg DSCN2974.jpg DSCN2989.jpg DSCN2993.jpg DSCN2994.jpg DSCN2996.jpg DSCN3000.jpg DSCN3001.jpg DSCN3002.jpg DSCN3005.jpg DSCN3006.jpg DSCN3008.jpg DSCN3009.jpg DSCN3014.jpg DSCN3016.jpg DSCN3023.jpg DSCN3036.jpg DSCN3055.jpg DSCN3058.jpg DSCN3059.jpg DSCN3062.jpg DSCN3067.jpg DSCN3074.jpg DSCN3075.jpg DSCN3081.jpg DSCN3083.jpg DSCN3089.jpg DSCN3092.jpg DSCN3094.jpg DSCN3095.jpg DSCN3100.jpg DSCN3103.jpg DSCN3128.jpg

 
Próximos Shows
Sem Eventos
Busca no site